Camila Fontes logo

Depressão

A depressão é uma doença cujos sintomas são bem variados: tristeza persistente, ansiedade, desesperança, culpa, perda de interesse, mal estar difuso no corpo ou fadiga, irritabilidade, perda ou excesso de apetite, insônia ou sono demais, falta de libido ou mesmo a compulsão pelo sexo, pensamentos de morte, sensações de medo e angústia por um tempo prolongado.

Sua causa pode estar na genética, eventos infantis, visão de si e da vida e fatores ambientais/mudanças de vida, entre outros. Pode acometer quem não tem objetivos de vida que tragam o sentido de existir, de utilidade e um sistema de valores bem claros e definidos, e resultar de fatores como visão negativa das experiências atuais, avaliação negativa do próprio eu como um todo, temores e preocupações quanto ao futuro.

O suporte psicológico é muito importante para o indivíduo que está com depressão, pois a terapia vai trabalhar a visão negativa de si, do mundo e do futuro, e os correspondentes pensamentos automáticos que mantêm a depressão e seus transtornos.

A adesão ao tratamento é tão importante quanto o acompanhamento médico e psicoterápico. No caso de uso de medicação prescrita pelo médico, cabe destacar que a interrupção por conta própria ou em desacordo com a orientação pode ocasionar uma piora acentuada (efeito rebote) e tornar a doença crônica.

Manter um estilo de vida saudável, ter uma dieta equilibrada, praticar atividade física regularmente, combater o estresse, reservar um tempo para atividades prazerosas, evitar o consumo de álcool, não usar drogas e preservar uma rotina de sono, são alguns dos principais fatores de prevenção à depressão.

Vale ressaltar que a depressão é uma doença e é diferente do estado depressivo, vivenciado através da tristeza com base no sentimento de perda. Ele tem causa real como morte de entes queridos, final de relacionamento amoroso, perda de emprego, mudanças de vida quando não há adaptação. Importante lembrar que muitos dos problemas emocionais não são patológicos, mas existenciais.

Como a nutrição pode auxiliar a amenizar os sintomas da depressão:

A serotonina é o neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e alegria, que atua na regulação do humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, sensibilidade e funções intelectuais. Você sabia que grande parte dela é produzida no intestino e se ele não funciona de forma inadequada a serotonina não é produzida corretamente, favorecendo quadros de tristeza, desânimo e depressão?

Uma alimentação equilibrada, rica em fibras, vitamina B6, triptofano, ácido fólico e magnésio, além de boa ingestão de água melhoram a saúde do intestino e favorecem a produção de serotonina:

  • hidratação (30 – 35 ml/ kg de peso de água por dia)
  • chocolate amargo (acima de 70%)
  • cúrcuma
  • ostras e camarão
  • ovo
  • leite integral
  • amendoim e castanha de caju, castanha do pará
  • frutas: banana, abacate
  • frutas cítricas: laranja, limão, morango, tangerina, abacaxi
  • leguminosas: grão-de-bico, ervilha, feijão, lentilha e soja)
  • sementes de chia e de abóbora
  • vegetais verde-escuros (couve, brócolis, rúcula, escarola)
  • óleo de linhaça
  • soja (tofu, leite de soja orgânico)
  • peixes (salmão, sardinha, atum, truta e arenque)

Os alimentos acima auxiliam o intestino a funcionar melhor, mas o ideal é consultar um(a) nutricionista que fará uma avaliação detalhada (composição corporal, hábitos alimentares etc.) e proporá um plano alimentar individualizado de acordo com as suas necessidades.

Tem dúvidas? Quer mais informações? Gostaria de sugerir um assunto para os próximos textos? Deixe seu comentário.

Baixe nosso e-book de receitas deliciosas gratuitamente para uma vida mais saudável!

Veja outros artigos

Golden Milk

Conheça os benefícios e aprenda a fazer em casa essa super bebida à base de cúrcuma e extrato vegetal, que

Leia mais »

Vamos conversar?

Ficou com alguma dúvida, ou deseja marcar uma consulta?
Entre em contato